Piercing na Orelha: Modelos de Joias, Dor, Cuidados

Conheça os diferentes tipos de piercing na orelha

A modificação corporal, seja com o uso de tatuagens ou de piercings, por exemplo, é cada vez mais comum, principalmente entre os jovens. Buscando se diferenciar do resto da multidão ou simplesmente expressar seu estilo e personalidade, cada vez mais pessoas estão se tornando adeptas das modificações corporais, dentre as quais está o piercing na orelha.

O piercing na orelha atende a diferentes estilos e gostos, desde quem procura por algo mais simples até quem procura por algo mais extremo. Antes de fazer um piercing, entretanto, é preciso avaliar variáveis como a sua própria saúde, os efeitos do piercing na sua vida e no seu convívio social, além dos cuidados que você deverá tomar.

Tipos de piercing na orelha

Depois de decidir que um piercing na orelha é o que você realmente deseja é chegada a hora de decidir em que parte da orelha será feito. Nessas horas, é importante ressaltar que partes com mais cartilagem são mais firmes e difíceis de serem furadas, levando a uma dor maior.

Qualquer que seja o lugar escolhido para o piercing na orelha, entretanto, é indispensável fazer o procedimento em um local adequado, com profissionais capacitados e com o máximo de higiene. Assim, você evita complicações e garante que sairá satisfeita.

– Hélix

Hélix
Hélix
Hélix

O piercing na orelha do tipo hélix é um dos mais comuns e populares no Brasil, também sendo conhecido como piercing na cartilagem. Esse tipo de piercing consiste em uma ou mais perfurações na parte externa da orelha, onde ocorre a dobra com a cartilagem. No caso de preencher toda essa parte, a modalidade é chamada de hélix espiral.

Diferentemente do que muita gente acha, esse piercing na orelha não deve ser feito em farmácias com máquinas automáticas de perfuração e sim em um estúdio de piercings para que a pressão aplicada na orelha seja a correta.

– Transversal

Transversal
Transversal
Transversal
Transversal
Transversal
Transversal

Também conhecido como industrial, o piercing na orelha do tipo transversal consiste em dois furos na região da cartilagem que formam uma linha diagonal entre eles. Em seguida, é utilizada uma jóia que conecta os dois furos, como em formato de argola com corrente ou em formato de seta, por exemplo.

– Tragus

Tragus
Tragus

O tragus é a região que forma uma espécie de aba acima do lóbulo da orelha, protegendo o canal auditivo. Para esse tipo de piercing na orelha é feita uma perfuração que atravessa toda sua espesura para ser colocada a jóia.

– Antitragus

Antitragus
Antitragus
Antitragus

Já a região antitragus é exatamente o que o nome sugere, ficando localizada imediatamente à frente da região do tragus, exatamente acima da região do lóbulo da orelha e também implicando em uma perfuração mais dolorosa.

– Rook

Rook
Rook
Rook
Rook

Quando o piercing na orelha é colocado na região cartilaginosa e exatamente acima da região do tragus é chamado do tipo rook. Por ser uma região mais espessa, a perfuração é significativamente mais dolorosa e trabalhosa.

– Snug

Snug
Snug

Snug, por sua vez, é o tipo de piercing na orelha colocado na porção de cartilagem em frente ao canal auditivo, internamente à região da hélix. Essa perfuração também é mais profunda e dolorosa.

– Alargador

Alargador
Alargador
Alargador

Também chamado de gauging, o alargador pode ser considerado um tipo de piercing na orelha e consiste em criar uma abertura no lóbulo da orelha, maior do que um furo normal para brincos e que pode ser alargada gradativamente – daí o nome.

Recomendamos também a leitura de:

Cuidados com o piercing na orelha

Embora seja uma região relativamente simples de ser cuidada, o piercing na orelha corre o risco de sofrer com a chamada queloide, que é uma cicatriz de tamanho aumentado e que pode levar à necessidade de cirurgia ou mesmo à deformação auricular. Além disso, por conter muita cartilagem a região da orelha possui pouco fluxo sanguíneo, favorecendo o surgimento de infecções e abcessos.

– Produtos específicos

Dessa forma, é indispensável cuidar da região do piercing com pomadas e produtos que evitem germes e bactérias, além do cuidado prévio na hora da perfuração. Caso você seja suscetível a queloides também poderá ser necessário o uso de pomadas para esse tipo de problema.

– Hora de dormir

Outra preocupação consiste na hora de dormir, sendo necessário evitar dormir pressionando a orelha que possui o piercing nas primeiras semanas. Já quem tem cabelo longo deve ter cuidado especial para que os fios não enrosquem no piercing na orelha.

– Material da joia

Não menos importante, é necessário atentar-se à jóia a ser utilizada, já que muitas pessoas possuem alergias a metais. Exija jóias compostas de titânio, aço cirúrgico ou ouro 14k sem níquel, evitando alergias e reações com a joia.

O piercing na orelha pode ser uma ótima forma de expressão dos seus gostos ou personalidade, modificando o seu visual de forma simples ou radical. Para evitar problemas e complicações, entretanto, escolha um local de confiança e tome todos os cuidados necessários após a perfuração.

Você tem alguma dúvida sobre piercing na orelha? Deixe um comentário!

One Comment

Comente!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest

Compartilhe!

Seus amigos vão adorar!